6/02/2011

O que eu aprendi


Tenho andado reflexivo ultimamente.. Parece que sempre que eu faço alguma coisa que sai um pouco da minha estrutura normal, uma loucura, extravagância ou o que quer que seja, eu me lembro da minha natureza, me lembro de quem eu sou e não me identifico com nada aquilo. Louco, bipolar (rótulos, rótulos, rótulos)? Talvez.. E não, não fico feliz com isso se você quer saber.

Mas me alegro sim de perceber que hoje sou mais inteiro do que ontem e se erro ainda é porque me distraio às vezes de minha natureza. Duas coisas que sempre me ajudam muito a me conectar comigo mesmo novamente são meditação e pensamento sobre a vida, seja de ordem filosófica, psicológica, espiritual ou o que quer que seja, como diz o grande Patch Adams (que é um cara muito mais foda do que aquela caricatura do filme que hollywood mostrou): "Não existe pensamento positivo ou negativo, o negativo é não pensar!".

Aliás, recomendadíssima a entrevista com ele (assistam todas as partes, vale a pena!):


Aprendi algumas coisas valiosíssimas com as pessoas que me são mais queridas na vida:

Com meus avós maternos aprendi que não se deve fazer uma escolha sem ser por amor e que não podemos culpar o outro pela infelicidade causada pela nossas próprias escolhas..

Com meus avós paternos aprendi que o amor existe, é belo, é real e só faz bem pra quem ama, além disso aprendi que a vida foi feita pra ser compartilhada os amigos, família, colegas, conhecidos, e que no final o amor que você leva é o amor que você dá! (saudades da vovó sempre..)

Com meus pais aprendi que é vital o respeito mútuo em um casal e que a fórmula: respeito + amor + admiração + desejo de melhora mútua = casal feliz. Aprendi principalmente respeito ao próximo na sua forma mais hardcore, sem restrições, sem cobrança, sem "eu te avisei", sem hipocrisia.

Com meus irmãos aprendi a viver, aprendi o que significa amizade, o que significa brigar, tomar posição, ceder, entender o outro, conversar, chorar junto, perdoar, respeitar e admirar.. não sou irmão dos meus irmãos por ter nascido do mesmo pai e da mesma mãe, sou irmão deles porque sinto no fundo que somos pedaços da mesma alma.

Com meus amigos mais íntimos aprendi que amizade é amor e que o tempo e a distância não diminuem esse sentimento, aprendi que pessoas muito diferentes podem se entender se estiverem dispostas a abrir o coração pro outro, aprendi que a vida não vale a pena sem amizades verdadeiras.

Com minhas namoradas aprendi o que é o amor sublime, aquele mesmo da amizade, só que maior, porque você é o outro.. aprendi a amar sem prender, a doar sem cobrar, a dar sem esperar nada em troca, a receber o que o outro te oferece, aprendi a valorizar um sorriso, aprendi que todos somos frágeis, que todos queremos ser amados e que ninguém quer magoar o outro.

Com meu cachorro aprendi que os animais são muitas vezes mais honestos do que nós humanos, e que devemos respeitá-los, porque são o que há de mais puro em termos de sentimento nesse planeta, aprendi que a presença às vezes é mais importante que a palavra e que os olhos expressam mais do que podemos imaginar.

Dedico esse texto à todos que passaram pela minha vida e me ensinaram a viver, espero que sempre que ler eu me lembre de tudo isso e possa honrar e ser eternamente grato à todas essas pessoas e à todas as que vierem. Porque a vida só vale a pena quando é compartilhada.

3 comentários:

Carol Martins disse...

Te conhecendo, sendo meu irmãozinho de alma, posso dizer, te amo.
E mesmo não conhecendo o Patch Adams, posso dizer, amo ele também.
Pessoas com idéias, palavras e almas tão lindas assim devem ser amadas, eu as conhecendo ou não.

;*

Carol Martins disse...

Que liiiiiiiiiiindo. Agora cheguei na parte 4 da entrevista e ele fala justamente dessa onda de sentir amor por estranhos e pela humanidade. Fiquei emocionada agora. ahauhauahauahauahau xD

Vini Carvalho disse...

Tu é foda pra caralho pra escrever, hein?!

Viver é compartilhar. Esse frase me veio na cabeça hoje de manhã depois que cheguei de um final de semana inesquecivel com um amigo. E agora lendo o texto, me encheu de lagrimas pois isso faz muito sentido pra mim também. Principalmente quando estamos longe daqueles que mais amamos.

Obrigado por compartilhar suas ideais conosco.